Lugar de mulher é na luta sindical!

Laudelina de Campos Melo (1904-1991) 

 

Laudelina de Campos Melo nasceu em 12 de outubro de 1904, em Poços de Caldas (MG). Filha de pais alforriados pela Lei do Ventre Livre, Laudelina começou a trabalhar como doméstica aos 7 anos. Desde jovem participou de organizações políticas e culturais do movimento negro. Casou-se aos 18 anos, teve dois filhos e se separou. Em 1936 Laudelina se filiou ao Partido Comunita Brasileiro e fundou, em Santos – SP, a primeira Associação de Trabalhadores Domésticos do país. 

A organização das domésticas foi fechada durante o Estado Novo e voltou a funcionar em 1946. Laudelina ainda ajudou a fundar a Frente Negra Brasileira. Durante a Segunda Guerra Mundial ela se alistou para servir como auxiliar de guerra, alegando anos mais tarde que “Hitler foi o maior carrasco que existia naquela época”. […] ele eliminaria todas as raças que não fossem arianas, principalmente a raça negra seria eliminada. Então aquilo me levou, me trouxe uma revolta dentro de mim”.

Em 1961 fundou a Associação Profissional Beneficente de Empregadas Domésticas em Campinas, depois foi convidada a participar da organização de diversos sindicatos da categoria pelo país. Com o golpe de 1964, para a associação não ser fechada, ela foi abrigada na UDN (União Democrática Nacional, mas a entidade acabou se dissolvendo. Laudelina chegou a ser presa durante a ditadura civil-militar e retornou à direção da associação apenas em 1988, quando se tornou sindicato e seguiu na defesa dos direitos dos trabalhadores domésticos. Laudelina morreu em 1991, aos 86 anos, em Campinas, deixando sua casa para o sindicato.