Diante de uma postura do governo Bolsonaro que aumenta os impactos da pandemia, entidades estudantis e movimentos sociais convocaram uma mobilização popular nacional para o dia 29 de maio.

As Universidades Federais e a rede de mais de 600 unidades de Institutos Federais (IFs) estão com o menor orçamento da década. Os cortes em 2021 são de R$ 1 bilhão para as universidades e R$ 770 milhões para os IFs, em relação a 2020.

Diversos reitores e entidades representativas têm alertado que as instituições não têm verba para manter o funcionamento no segundo semestre. Os IFs estão com a menor verba desde 2010, quando tinham metade do número atual de estudantes, mais de um milhão.

Em Mato Grosso do Sul uma das pautas locais foi contra o PL 10, que quer tornar a educação um serviço essencial em Dourados-MS, essa manobra visa garantir a volta as aulas sem a vacinação de toda a comunidade escolar.

As indagações contra a Reforma Administrativa (PEC 32) também estavam demonstradas em cartazes durante as manifestações, a reforma faz parte do pacote de maldades do Governo Federal e se aprovada irá contribuir para o desmonte dos serviços públicos.

No dia 29 de maio o SINASEFE|MS participou através de sua base dos atos em defesa da Vida, Pão, Vacina e Educação em 03 cidades do Estado, Campo Grande, Corumbá e Nova Andradina.

Quando o presidente é mais perigoso que o vírus, o povo precisa ir às ruas!

Confira alguns registros das manifestações em MS:

Campo Grande:

Corumbá:

Nova Andradina:

 

Fotos: Adufms-Sindicato / Redes Sociais