Lugar de mulher é na luta sindical!

Elvira Boni de Lacerda (1889-1990)

Elvira Boni de Lacerda nasceu em Espírito Santo do Pinhal (SP), em 1899. Não pode concluir o ensino primário e já com 12 anos era aprendiz sem salário numa oficina de costura, na época a jornada de trabalho variava entre 11h e 14h diárias. Elvira cresceu numa família adepta aos ideais libertários, seu pai era anarquista e integrou a Liga Anticlerical, Elvira também veio a fazer parte da Liga e nesse período iniciou sua atuação política e sindical.

Com 20 anos de idade, em maio de 1919, fundou a União das Costureiras, Chapeleiras e Classes Anexas no Rio de Janeiro, junto das colegas de trabalho Lisa Gonçalves de Oliveira, Carmen Ribeiro, Isabel Peleteiro, Noêmia Lopes e Aida Morais. A União das Costureiras denunciava, principalmente, a situação de trabalho precário nas fábricas e a extensa jornada de trabalho. Logo após três meses de sua fundação, as mulheres organizaram uma greve da categoria. 

Além de sindicalista, Elvira escreveu artigos para jornais e revistas, integrou grupos de teatro operário e, em 1920, presidiu a mesa de trabalhos do III Congresso Operário Brasileiro. Casou-se com o comerciante Olgier Lacerda, um dos fundadores do Partido Comunista Brasileiro (PCB), com quem teve duas filhas. Elvira morreu no Rio de Janeiro em 1990, aos 91 anos.